Mulheres que conheci

Tenho amigas.


Não sou daqueles caras que acham que não existe amizade entre homens heterossexuais e mulheres.


Acho isso, aliás, uma besteira.


Tenho amigas que a relação já dura anos - sem nenhuma pegação, diga-se. Inclusive duas das melhores amizades que tenho são com mulheres. Trato-as como irmãs e me sinto como tal, um irmão.


Muitas ex-namoradas minhas nunca gostaram desse fato. Mas acabaram aprendendo a conviver.


A amizade entre homem e mulher é diferente, por exemplo, entre a de mulher e mulher.


Mulheres são competitivas até entre amigas. E por isso certas coisas elas preferem um amigo para compartilhar.


Conversar com elas, ser confidente em diversas situações, ensinou-me muito sobre elas.


Nós, homens, somos criados vendo as meninas como um bicho esquisito, diferente de tudo que é comum. Por isso e até por autodefesa, bolir elas era uma das coisas mais divertidas da infância.


Eu, por exemplo, decapitava as bonecas das minhas colegas só para ver o chororô delas. Ah, e pregava chiclete no cabelo também.


Nunca entendi a gravidade desses atos até crescer e me tornar amigo de mulheres.


Elas são mais sensíveis, a criação delas é baseada em valores diferentes das dos homens. Muitas querem ser protegidas - até aquelas que, por fora, parecem duronas.


Em geral, são mais inseguras que os homens. Precisam provar para si e para todos que é bonita - mesmo isso sendo, em muitos casos, algo óbvio.


E mais: não são bobinhas como elas nos fazem parecer pensar que são. Essa, para mim, é a melhor característica delas. Uma espécie de cinismo calculado.


Detalhistas, prestam a atenção em coisas que nós, homens, jamais imaginamos.


E carregam essas idiossincrasias que movimentam o mundo estético: frizz, pontas duplas, celulite, gordura e todas essas coisinhas pequenas do imaginário feminino que - apesar de já terem tentado me explicar - jamais entendi e jamais vou querer, mesmo, entender.


Tenho fascínio por isso e pelo jeito delas - sempre cuidadoso, sempre cheio de detalhes, de mimos.


A feminilidade é a coisa mais bonita em uma mulher, na minha opinião.


2 comentários:

  1. Helena Maziviero8 de julho de 2011 21:09

    Lindo texto. Desnecessário dizer o quanto me vi refletida nisso tudo.

    Para as mulheres, o mais importante é o que está em segundo plano....;)

    ResponderExcluir
  2. Vou colar um chiclete no teu cabelo. Sem querer.

    ResponderExcluir